Domingo, 15 de Junho de 2008

SAIBA COMO CUIDAR DA SUA SAÚDE ORAL (*) - GUIA PRÁTICO

 

 

 

 

Contudo o Médico Dentista ou Estomatologista não trata apenas a cavidade oral, esta é uma parte de um todo que é - O APARELHO ESTOMATOGNÁTICO - que é constituído não só pela cavidade oral, que contem os maxilares com estruturas ósseas diferentes ao tratar-se do maxilar superior e do inferior, a mucosa, a língua, os lábios, as glândulas salivares majores e minores, os músculos com suas inserções e tendões, um sistema nervoso sensitivo e motor, um sistema vascular arterial e outro venoso, e ainda um sistema linfático, uma articulação temporo-mandibular (ATM), que é uma articulação única pois é constituída por duas superfícies articulares (côndilo e cavidade glenóide) contendo um disco inter-articular, uma cápsula articular e suas respectivas inserções, quer à direita quer à esquerda unidas por um arco mandibular e dois ramos montantes. Por fim, os dentes com o seu alvéolo, ligamento alveolar, uma camada de cemento a revestir a dentina radicular e uma de esmalte a revestir a dentina da coroa. No interior a polpa constituída por um tecido conjuntivo que envolve um feixe vasculo-nervoso e que é envolvida por uma camada de odontoblastos, a toda a volta da dita polpa, que emitem prolongamentos citoplasmáticos para uma infinidade de canaliculos dentários, por isso há quem desgine este conjunto de polpa e dentina como o orgão - Pulpo-dentinário.

Não podemos esquecer que ao redor deste aparelho e a comunicar-se com ele de uma forma directa ou indirecta, temos uma série de orgãos e aparelhos que o envolvem tais como: ouvidos, nariz, seios peri-nasais, olhos, cérebro, aparelho respiratório e aparelho digestivo, bem como o meio exterior.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Gengivas Saudáveis vs. Gengivas Doentes  

 

 

 

 

    Estrutura Óssea Saudável vs. Estrutura Óssea Doente  

 

 

 

Comentário ás duas imagens anteriores:

  • As gengivas saudáveis são rosa e não sangram aquando da escovagem ou da utilização do fio dentário.
  • Não surgem bolsas quando a estrutura óssea, que suporta o dente, é saudável.
  • A placa bacteriana e o tártaro contribuem para uma situação de Doença Periodontal.
  • As gengivas doentes apresentam inchaço e vermelhidão. O sangramento pode ocorrer aquando da escovagem ou uso de fio dentário.
  • Devido à perda de consistência na estrutura óssea, podem surgir bolsas ou retracção das gengivas, e mesmo a perda expontânea do dente.

 

  Medições Periodontais para Avaliação da Perda Óssea (bolsa)  

 

 

Um sulco saudável tem 2/3mm de profundidade. Pode facilmente ser limpo através de escovagem ou uso de fio dentário.

 

 

Um sulco saudável, visto por meio de Rx, correspondente à imagem anterior.

 

 

 

Quando uma Doença Periodontal está presente, podem formar-se bolsas bastante mais profundas, de higienização difícil e onde se vão acumular bactérias patogénicas.

 

 

Um sulco doente, visto por meio de Rx, correspondente à imagem anterior.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   Escovagem Correcta   

 

 

 

 

Disponha os filamentos da escova entre o dente e a gengiva, com um ângulo de 45º. Os filamentos devem estar em contacto tanto com a superfície dentária, bem como com a linha da gengiva.

 

 

 

 

 

Escove suavemente a superfície externa de 2-3 dentes mais posteriores, usando movimentos vibratórios horizontais ou rotatativos da gengiva para a coroa dos dentes. Avance para o grupo de dentes seguinte e repita os movimentos.

 

 

Mantenha um ângulo de 45º de contacto dos filamentos com a superfície dos dentes e a linha da gengiva e após toda a zona exterior estar escovada comece agora pela zona interior, utilizando os mesmos movimentos vibratórios horizontais ou rotativos como anteriormente se falou.

 

 

Segure a escova na vertical, ligeiramente inclinada, para limpeza da superfície interna dos dentes anteriores. Execute movimentos verticais da gengiva para a coroa do dente, em cada dente anterior.

 

 

A seguir, coloque a escova sobre a superficíe dentária de mastigação e execute movimentos horizontais curtos para a frente e para trás.

 

 

Por fim, escove também a língua de trás para a frente, o que ajuda a remover bactérias nela alojadas, passíveis de causar mau hálito.

 

 

  Uso Correcto de Fio Dentário  

 

 

 

 

 

Envolva cerca de 45cm de fio dentário em cada um dos dedos médios. Segure o fio entre os dedos polegar e indicador, deixando um espaço de 5cm entre ambos. Use os polegares para o uso directo de fio nos dentes superiores.

 

 

Mantenha os mesmos 5 cm de fio dentário e use os indicadores para orientar o fio na limpeza dos dentes inferiores.

 

 

Com movimentos suaves de zig-zag comece por introduzir o fio nos espaços interdentários.

NUNCA ENROLE O FIO AO DENTE! Realize movimentos envolventes pelos lados do dente.

 

Faça deslizar o fio na vertical, contra a superfície do dente e sob a linha da gengiva. Use o fio dentário em toda a superfície de cada dente, sempre com secções limpas do fio.

 

 

 

   Cuidados com as Pontes Dentárias  

 

  

 

Preste especial atenção à linha da gengiva ao longo das coroas dentárias escovando sempre num ângulo de 45º. Deverão ser tomadas medidas de limpeza suplementares para as pontes dentárias.

 

 

Use um passa-fio dentário para conduzir o fio sob as pontes. Logo que o fio dentário esteja sob a ponte inicie o processo de limpeza com movimentos vibratórios de vai e vem.

 

 

Use uma escova ou um escovilhão interproximal  para os espaços mais largos das pontes dentárias. Seleccione o tamanho de ponta adequada para o espaço a limpar. NUNCA FORCE AS PONTAS DA ESCOVA  OU ESCOVILHÃO INTERPROXIMAL EM ESPAÇOS MUITO REDUZIDOS. Escove sempre com movimentos vibratórios de vai e vem tanto pelo exterior como pelo interior das coroas dentárias.

 

 

Use uma escova de dentes UNITUFO para limpar de um modo eficaz as zonas de difícil acesso tais como as zonas posteriores de cada coroa dentária.

 

 

 

  Cuidados de Ortodoncia  

 

 

 

As escovas de ortodontia foram concebidas para limpeza tanto dos dentes como dos aparelhos de correcção dentária. Use curtos movimentos vibratórios para limpeza de ambas as superfícies. Escove também a linha de gengiva e zona de mastigação dos dentes.

 

 

Passe cerca de 45 cm de fio dentário por um passa-fio. Introduza o passa-fio no espaço interdentário e sob a armação metálica. Faça deslizar o fio com movimentos verticais contra as superfícies do dente e sob a linha de gengiva. Utilize o fio dentário em todos os espaços interdentários de modo uniforme usando para cada um deles secções limpas de fio dentário.

 

 

Utilize uma escova ou escovilhão interproximal para limpeza dos espaços entre os dentes e a armação metálica ou onde existirem espaços mais largos. Selecione o tamanho apropriado das pontas da escova ou escovilhão interproximal para cada tipo de espaço interdentário com a armadura metálica do aparelho.

 

 

  Cuidados com Implantes  

 

 

 

Use uma escova ou escovilhão interproximal de viagem para limpeza dos postes e das zonas interiores da prótese. Introduza a escova suavemente entre cada poste e escove com movimentos vibratórios de vai e vem suaves.

 

 

Use uma escova UNITUFO para limpeza em zonas de difícil acesso entre os postes e sob a prótese.

 

 

A escova de viagem encoraja a escovagem quando se encontra fora de casa. Escove as zonas superior e inferior da prótese como se tratassem de dentaduras naturais.

 

 

 

  Cuidados Especiais  

 

 

 

Coloque o fio dentário no Aplicador ou Porta-fio. Introduza o fio entre os dentes e com movimentos suaves de zig-zag faça-o deslizar pelo intervalo interdentário. Pressione o aplicador contra a superfície dentária a fim de permitir que o fio, ao contornar todo o dente, limpe eficazmente. Utilize também movimentos verticais para proceder à limpeza do dente em toda a sua extensão.

 

 

Onde exista retracção gengigal, utilize uma escova ou escovilhão interproximal para a limpeza das irregularidases das raizes. Selecione o tamanho apropriado da ponta activa da escova ou escovilhão para que se ajuste de um modo confortável aos espaços a limpar. Introduza a escova ou escovilhão no espaço interdentário e com movimentos vibratórios de vai e vem proceda à limpeza da superfície do dente.

As bifurcações deverão ser limpas com fio dentário; para tal utilize cerca de 45 cm de fio e com a ajuda de um passa-fio introduza-o directamente na bifurcação. Usando movimentos circulares, pode limpat todas as superfícies.

 

 

Esta figura  pretende demonstrar como em determinados espaços, por questões anatómicas os escovilhões têm vantagem sobre o fio dentário.

 

 

 

 

 

 

(*) Parte destas imagens e texto foram extraídos  dos Guias " Saiba cmo cuidar da sua Saúde Oral", da Colegate e dp "Higiene Oral da BUTLER, a quem deixo aqui o nosso agradecimento. 

 

publicado por clinicadrsilvioribeiro às 00:52

link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De lenita a 15 de Outubro de 2008 às 18:08
dr eu precisava de ajuda para fazer um alvo de motivaçao sobre higiene oral dirigido ao publico adulto e outro dirigido á crianças. e gostava de saber que tipo de imagens eu poderia usar.

De clinicadrsilvioribeiro a 20 de Outubro de 2008 às 17:37
Cara senhora,
Não vejo qualquer inconveniente em que utilize informação deste Blog, pois ele foi feito com o intuito de divulgar os assuntos de maior interesse para a Saúde Oral em geral.
De Rui Pedro Sousa a 6 de Outubro de 2009 às 11:56
No outro dia ao ver um anúncio na tv de um elixir famoso no mercado, um amigo meu dentista fez um comentário que me deixou assustado... disse mais ou menos que era como ter uma bomba na boca que mais cedo ou mais tarde acaba por explodir... Como acabava há pouco tempo de comprar exactamente esse produto perguntei-lhe porque é que dizia isso. Resumindo... a alta concentração de álcool desses produtos é altamente nocivo para os tecidos da boca, porque há um contacto demasiado longo entre esses tecidos e o álcool e pode provocar doenças graves. Depois disto pergunto-me ... a bomba do anúncio é a sério ou a brincar? Pelo sim pelo não, já passei a um elixir sem álcoo... Safa!
De clinicadrsilvioribeiro a 12 de Outubro de 2009 às 18:27
Ao Rui Pedro quero agradecer o ter contactado deste modo. Fez muito bem em seguir o conselho do Colega Médico Dentista, pois um dos problemas para os tecidos de suporte dentário é a atrofia das mucosas para a qual o álcool contribui.
Normalmente as campanhas de marketing não olham a meios para alcançarem os fins.
Cumprimentos,
Dr. Sílvio Ribeiro
De Rui Pedro Sousa a 14 de Outubro de 2009 às 12:22
Ok. Agradecia a informação, porque uso bastante o colutório e acho que sou ainda demasiado jovem (19 anitos) e quero saber se é assim tão grave o seu uso contínuo e nesse caso, se há produtos para combater o mau-hálito, que sejam menos perigosos.
De clinicadrsilvioribeiro a 14 de Outubro de 2009 às 18:00
Em primeiro lugar o mau hálito pode ter outras causas que não só causas orais. Convém que esteja atento a esse aspecto.
Mas se tem uma boca saudável pode usar um colutório como complemento da sua higiene oral, por exemplo o Bexident Gengivas Triclosan colutório (passo a publicidade), que apenas encontrará na farmácia.
E não se esqueça que deve fazer uma visita ao seu Médico Dentista pelo menos de 1/2 em 1/2 ano.
Cumprimentos,
Dr. Sílvio Ribeiro

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. INVOLUÇÃO DA SAÚDE ORAL N...

. A PRIMEIRA VISITA AO MÉDI...

. O QUE SE ENTENDE POR MEDI...

. PROGRAMA PREVENIR EM SAÚD...

. SAIBA COMO CUIDAR DA SUA ...

. GUIA DE HIGIENE ORAL (*) ...

. BRANQUEAMENTOS DENTÁRIOS

. DISCIPLINAS DENTÁRIAS - I...

. I - MEDICINA ORAL - INTRO...

. MEDICINA ORAL - 01 - INFE...

.arquivos

. Novembro 2009

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.links

.Contador


Myspace Layouts
blogs SAPO

.subscrever feeds